Aqui você tem acesso ao seu boleto e muito mais. Acesse já.  

Banheiros evitam “branquinho básico” e ousam com paredes e azulejos coloridos

O branco se restringiu à louça neste banheiro que valoriza a madeira, optou por pastilhas mais escuras e ganhou atmosfera tecnológica e moderna. Projeto de Gustavo Calazans.

O branco se restringiu à louça neste banheiro que valoriza a madeira, optou por pastilhas mais escuras e ganhou atmosfera tecnológica e moderna. Projeto de Gustavo Calazans.

Os banheiros não ficam mais em segundo plano na decoração. Além de acessórios e revestimentos mais nobres, esses espaços começam a receber cada vez mais cor.

Fugir do “branquinho básico” pode tornar o ambiente mais acolhedor, agradável e divertido. Mas a escolha da paleta precisa ser pensada.

As designers de interiores Fabiana Visacro e Laura Santos, do escritório VS Design, por exemplo, escolheram o cinza e o azul cobalto para uma sala de banho.

“O cinza está sendo considerado, tanto na decoração quanto na moda, o novo branco. Ele realça as outras cores, preenche o espaço com personalidade e torna-o mais aconchegante”, dizem as designers.

Ainda segundo elas, junto com outras cores e acessórios, o cinza cria um clima intimista.

Parede de pastilhas vermelhas é valorizada por iluminação neste lavabo. Projeto de Gustavo Calazans.

Parede de pastilhas vermelhas é valorizada por iluminação neste lavabo. Projeto de Gustavo Calazans.

Já a escolha do azul é para “inspirar bem estar”. “É uma tonalidade que traz tranquilidade e acalma. Com o cinza, o azul forma um conjunto harmônico que quebra a monotonia do espaço”, explicam Visacro e Santos.

Este banheiro, projetado para crianças por Gustavo Calazans, utiliza cores como rosa, azul e verde em tonalidades mais suaves, que costumam remeter à infância. A mistura de azulejos e pastilha também é diferencial

Este banheiro, projetado para crianças por Gustavo Calazans, utiliza cores como rosa, azul e verde em tonalidades mais suaves, que costumam remeter à infância.

Não é que o branco tenha sumido por completo. Nos projetos do arquiteto Gustavo Calazans, ele ainda está presente nas louças e em alguns trechos de parede.

Mas o ambiente ganha vida com metades de paredes e pastilhas coloridas, azulejos desenhados e revestimentos especiais.

Para dar cor também a chuveiros e torneiras, a dica da arquiteta Marina Dillon é a utilização de metais com acabamentos cromados.

Fonte: Folha de São Paulo